Devo pagar meu filho para fazer tarefas domésticas?

Fala galera, tudo bem? A gente recebe muitos questionamentos, e muitas sugestões de nossos leitores. Uma questão recorrente é sobre o que pensamos em relação a pagar aos nossos filhos para realizar tarefas domésticas. Tipo: arrumar a cama, botar a louça na pia, colocar a roupa suja no cesto, ajudar a jogar o lixo na rua, entre outras tarefas domésticas.

Alguns leitores até relatam que fazem isso em casa. Há um tempo atrás viralizou na internet um pai que fez uma tabelinha para controlar as tarefas domésticas de seu filho. Então, ele dava uma mesada para o filho, para facilitar, R$ 10,00. A partir daí o pai desconta da mesada de seu filho de acordo com as tarefas que não foram executadas. Por exemplo:

  • Se não arrumou a cama desconta R$ 1,50;
  • Se não botou o copo na pia perde R$ 0,30;
  • Daí por diante.

Ao final do período o pai chega a um valor líquido, depois do total a ser descontado de acordo com o que a criança não fez durante o período.

E muitos que leram sobre isso nos questionaram: “qual é a opinião do Graninha Kids a respeito do assunto?”.

Mas antes de apresentar o meu ponto de vista eu queria deixar muito claro que não sou dono da verdade. E também que não existe receita de bolo para criar filho, tirando alguns valores universais que devemos ensiná-los. Logo é muito difícil pra gente julgar o que é certo ou errado.

Assim cada pai ou responsável é livre para fazer o que quiser. Cabe a você avaliar e chegar as suas próprias conclusões, não né?

Tarefas domésticas

tarefas domésticas

Eu acho que este debate é muito saudável por isso fui buscar a opinião de alguns especialistas. Então encontrei um livro de uma americana chamada Beth Kobliner. Essa autora é bem respeitada nos Estados Unidos já foi inclusive conselheira do ex-presidente Barack Obama.

Eles criaram um comitê para discutir a educação financeira infantil e, depois ela escreveu um livro chamado Make Your Kid A Money Genius (Even If You’re Not). Na tradução livre seria algo como Faça seu filho um gênio do dinheiro (mesmo que você não seja). O livro é bem bacana, ainda não terminei de ler. Mas tem várias sacadas interessantes que depois eu vou compartilhar com vocês em outros artigos.

Mas ela tem um capítulo no qual analisa a questão de remunerar a execução das tarefas domésticas. Eu achei interessante confirmar o nosso ponto de vista, já que a opinião dela é a mesma que a minha. Assim, a gente fica até um pouco mais tranquilo.

Pagar ou não pagar, eis a questão

Enfim a minha opinião a respeito desse assunto, e que é compartilhada com os demais  membros do Graninha Kids, é que a gente não deve pagar nossos filhos para que eles realizem suas tarefas domésticas.

Por que que não devemos fazer isso?

Simples, porque dessa maneira estaremos criando uma pessoa que só reage se tiver dinheiro envolvido. Ou seja, estaremos educando nossas crianças para se tornar verdadeiros mercenários. Não é?!?!

E isso, com o passar do tempo, pode até fazer com que você perca sua autoridade. A gente acredita que nossas crianças têm suas obrigações. E devem fazer fazer porque “tem que fazer“. Eu não vou pagar o meu filho para ele arrumar sua cama. Ou para ele botar roupa suja no cesto.

É primordial que ele faça suas obrigações porque ele mora em uma casa. Que é um ambiente familiar, uma equipe!

A convivência com outras pessoas nos gera direitos e deveres. Então eu, como responsável pela educação de uma criança, não irei pagá-la para fazer suas obrigação, seus deveres. Isso ele tem que fazer e pronto!

A gente acredita que existem outras formas de você incentivar sua criança a “correr” atrás do dinheiro. E também há outras formas de você penalizá-la no caso do não cumprimento de suas obrigações.

Mas, em relação a questão das tarefas domésticas a nossa opinião é muito forte nesse sentido: não concordamos que elas sejam motivos de barganha financeira.

Remunerando tarefas domésticas extras

tarefas domésticasAgora, então nunca poderia pagar para que meu filho faça alguma tarefa? Sim, existem alternativas que permitem o pagamento sim.

Por exemplo, se existe algum serviço que você contrata terceiros para executar. E, se o seu filho quiser fazer esse serviço, você poderia remunerá-lo. Então pagaria o valor para ele, ou um percentual do valor total.

Por exemplo, você costuma pagar R$ 30,00 para lavar o seu carro.  Um dia seu filho diz:  “pai deixa que eu lavo o carro”. Provavelmente ele não vai lavar como o cara do lava jato. Ele lavou mas não ficou legal o trabalho. Mas valeu o esforço, então você paga uns R$ 15,00 para ele. Entendeu?

Ou, caso você tenha grama em casa, por exemplo, mora numa casa com quintal e grama. E você paga por volta de R$ 80,00 para o jardineiro ir até sua casa e aparar a grama. Acontece que um certo dia sua criança resolve de alguma forma ajudar. Aí, novamente, você poderia pagar a ele um valor já que está executando uma tarefa extra.

Agora arrumar a cama todo dia, isso é uma obrigação. Entendeu?

Então a gente não concorda com a prática de remunerar atividades corriqueiras que as crianças têm que executar. Não recrimino quem o faça. Porque, como eu disse anteriormente, cada um pensa de um jeito.

Quanto ao livro citado no início, eu não o encontrei traduzido para o português. Mas eu o indicio para quem já tem um domínio de inglês. Segue novamente: Make Your Kid A Money Genius (Even If You’re Not).

Se ainda não baixou nosso e-book, clique na imagem para efetuar o download do e-book Como dar mesada para o seu filho.

tarefas domésticas

Veja também o infográfico que fizemos especialmente para explicar um pouco mais sobre o método dos 4 potinhos.

Rodrigo Tomasi

Co-fundador do Graninha Kids

Imagens: créditos Freepick.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *